7 tendências do mercado financeiro que já estão impactando o setor

Os mercados financeiros estão sempre mudando e precisam ser atualizados para não ficarem para trás. Novas tecnologias surgem a cada dia. Então, se algo muda o comportamento das pessoas, pode ter certeza que interfere diretamente nos sistemas e processos. É assim que surgem as tendências do mercado financeiro.

Não há dúvida de que as soluções são criadas a partir de requisitos. Quem teria pensado que, em 1851, seria possível realizar transações financeiras em dinheiro a longas distâncias usando o telégrafo?

Ou, no futuro, os bancos podem reduzir o número de funcionários das agências por meio de serviços online, como o banco online? Ou as pessoas podem usar a biometria para sacar fundos com mais segurança sem fornecer dados pessoais e senhas?

Claro que estar preparado para essas mudanças, técnicas ou não, é importante para o crescimento da sua empresa. Afinal, foram criadas condições favoráveis: automação tecnológica, abertura aos clientes e inclinação dos reguladores nacionais. Então aproveite!

7 tendências de impacto dos mercados financeiros

Separamos as 7 tendências a seguir nos mercados financeiros que já estão impulsionando esse segmento e prometemos melhorar ainda mais sua competitividade frente aos concorrentes:

1. Inteligência Artificial

Em finanças, os benefícios e aplicações desta tecnologia são numerosos. A inteligência artificial (IA) é usada para simplificar a automação da tomada de decisão humana. Isso inclui o processamento de dados econômicos e a melhoria da produtividade do setor financeiro.

Algumas empresas também já estão usando o aprendizado de máquina para analisar o risco de falência e prever retornos e lucros. Outra grande vantagem da IA ​​é a fluidez do trabalho. O grande volume de informações que circulam diariamente nos mercados financeiros exige essa agilidade de ferramentas inteligentes. Isso se aplica aos dados mais gerais e confidenciais.

2. Open Banking

A tendência do Open Banking que conhecemos hoje tornou-se uma realidade em muitos países europeus e está transformando o setor bancário. Essa tendência do mercado financeiro vem sendo implementada no Brasil desde o início de 2021. Por meio desse processo, todos os clientes do banco poderão engajar outros provedores para gerenciar suas finanças.

Isso abrirá novas oportunidades para os usuários, pois os bancos precisarão fornecer a terceiros as informações bancárias de seus clientes por meio de APIs. Ou seja, com este “sistema aberto”, os clientes de produtos e serviços financeiros poderão compartilhar informações entre diferentes instituições autorizadas pelo banco central.

Por isso, a movimentação da sua conta bancária pode ser feita de diversas plataformas, não apenas pelo app ou site do banco, o que traz mais agilidade e comodidade à operação. Vale ressaltar que todo esse processo é feito em um ambiente seguro. Além disso, a permissão pode ser cancelada a qualquer momento.

Saiba mais sobre o Open Banking e veja o progresso e as perspectivas do Brasil!

3. Fintech

O futuro será gerido pela velocidade. Nesse sentido, o fintech (termo que combina finanças + tecnologia) se destaca – principalmente para quem é novo no mercado. O foco da indústria é ter processos mais inovadores que trabalhem em elementos mais rentáveis ​​e operem a um custo muito menor do que as instituições tradicionais do setor.

A tendência fintech vem se consolidando entre empresas dos mais diversos setores. Este fenômeno permite que instituições que não estão necessariamente no setor financeiro cooperem com o setor financeiro. Portanto, eles podem fornecer e lucrar com serviços financeiros digitais. Inovação, agilidade e crescimento sustentável são benefícios imediatos desse modelo de negócios.

4. Pagamento móvel

Os pagamentos móveis estão ganhando força nas tendências do mercado financeiro devido a mudanças nos padrões de vendas. Como o nome sugere, o processo inclui pagamento, aceitação ou qualquer solução baseada em pagamento via dispositivo móvel, seja presencial ou não.

Aceitar cartões de crédito e débito via smartphone já é uma forma de pagamento móvel bastante utilizada no Brasil. Com ele, as transações também são garantidas pelas próprias máquinas, que operam com tecnologia de ponta para atender a rígidos padrões de pagamento.

5. Pagamento instantâneo

Os pagamentos instantâneos são uma tendência na economia global. Embora o formato varie de país para país, o padrão é basicamente o mesmo, permitindo que pagamentos e transferências sejam feitos em tempo recorde: 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano.

No Brasil, essa tendência foi acompanhada pelo método de pagamento eletrônico Pix, do banco central, que vem trazendo mais utilidade e agilidade para empresas, lojistas e consumidores em geral desde o final de 2020. Pix permite transferências instantâneas sem restrições de data ou hora. Até 31 de maio de 2021, esse novo sistema de pagamento atingiu 253,5 milhões de chaves de registro.

No Brasil, temos cerca de 213 milhões de pessoas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Portanto, registramos mais chaves Pix do que pessoas na China. Isso mostra a evolução dessa tendência. Tantas novidades foram incorporadas ao Pix em poucos meses, como Pix Saque, Pix Troco e Pix Cobrança.

Outra variação dessa tendência é o chamado cross-border, que é muito comum no mercado de e-commerce e também será instantâneo em um futuro próximo. O modelo derruba barreiras além-fronteiras e permite a expansão das vendas para outros países. Esse tipo de negociação já é bastante comum em países como Índia, China e Estados Unidos.

6. Servidor de armazenamento em nuvem

O armazenamento em nuvem é uma das tendências mais prementes nos mercados financeiros. Afinal, estamos falando de um setor movimentado e com uma taxa de dados muito alta. As soluções que permitem o armazenamento em nuvem são essenciais no dia a dia das instituições financeiras, pois trazem visibilidade, resiliência, autonomia e segurança ao processo.

Além disso, os servidores em nuvem organizam, estruturam e facilitam os requisitos de TI para que possam trabalhar de acordo com os rígidos padrões de segurança do mercado financeiro. O provisionamento em nuvem se estende a todos os serviços de rede, computação e armazenamento por meio de uma plataforma intuitiva e personalizada para um gerenciamento mais ágil e confiável.

7. Tecnologia de segurança da informação

Dado que o setor lida com dados sensíveis e confidenciais, um dos maiores desafios dos mercados financeiros é garantir a máxima segurança do processo. Para se ter uma ideia, as estimativas da Febraban indicam que os bancos investem cerca de R$ 2,5 bilhões anualmente em sistemas de informação voltados à segurança. Isso equivale a 10% do total de gastos com tecnologia na indústria.

Hoje, existem diversas ferramentas que tornam o processo de implantação desses sistemas mais eficiente. Um exemplo é o software especializado para o mercado financeiro, que opera de acordo com os padrões da indústria. Um provedor especializado fornece todo o suporte necessário para implementar um sistema sob demanda, reduzindo os gastos com TI, maior autonomia operacional e o mais alto nível de segurança operacional.

Não é à toa que os padrões de serviço de armazenamento em nuvem mencionados acima são bastante rígidos, conforme consta nas Resoluções 4.658/2018 e 85/202. Nesse caso, cabe à agência definir, implementar, divulgar e manter políticas de cibersegurança para garantir a confidencialidade, integridade e disponibilidade dos dados na nuvem.

Quer saber mais? Descubra a mais avançada tecnologia de segurança e comunicação para instituições financeiras!

É importante entender as tendências do mercado financeiro e investir em soluções especializadas para não ser errático no avanço da transformação digital. Com isso, as instituições financeiras estão se tornando mais modernas e competitivas nesse mercado, além de otimizar as operações, aumentar a produtividade e aprimorar a experiência do cliente.

Fontes: www.rtm.net.br

vitorramos
vitorramos
Artigos: 49