Como montar uma carteira de investimentos diversificada?

Sempre que falamos em portfólio diversificado, é importante saber que produtos e conselhos de profissionais qualificados (neste caso, consultores de investimentos) não são imutáveis, portanto, mudam com o tempo. Além disso, dependem de muitas variáveis, como cenários políticos, econômicos, geopolíticos, etc.

A diversificação é um fator importante no sucesso de um portfólio diversificado no longo prazo. Por exemplo, o segredo está em ser aplicável a todos os tipos de produtos, indústrias, mercados e moedas. Dessa forma, a carteira ficará equilibrada e os investimentos mais protegidos.

Para um portfólio saudável, são recomendados sete investimentos:

  • sufixo;
  • prefixo;
  • inflação;
  • vários mercados;
  • renda variável;
  • alternativo;
  • Internacional.

É possível investir diretamente em produtos stand-alone, por exemplo, para produtos pós-fixados, é possível investir em CDBs vinculados a CDIs. Outra opção é aplicar os recursos em outro banco nacional de desenvolvimento a uma taxa de juros pré-determinada. Na inflação, os investidores podem comprar títulos públicos como as NTN-Bs, o IPCA do Tesouro. Outra opção é investir em ações para diversificar entre empresas e áreas de atuação.

Como mencionado acima, essa é uma forma de investir em produtos individualmente, e exige maior dedicação e entendimento das características de cada produto.

Para aqueles com menos conhecimento ou tempo, um fundo de diversificação está disponível. Por meio deles, você pode escolher tipos de exposição como: referência DI, multimercado, ações, etc. Nesse caso, o investidor confia a gestão desses recursos a um profissional qualificado, conhecido como gestor.

Concluindo, com essas dicas, não basta considerar apenas o valor do investimento na carteira, mas também o tipo de investimento. Porque, às vezes, investir em um único fundo já significa diversificar e se posicionar no investimento internacional ou na inflação.

Quando falamos de rentabilidade, a evolução de cada produto de investimento pode ser cuidadosamente mensurada. Por exemplo, no XP não há necessidade de se preocupar com isso, pois a própria corretora faz os cálculos, inclusive fazendo gráficos para monitorar facilmente as carteiras dos investidores.

Por que as pessoas “fugim” da renda variável?

Na verdade, esse tipo de investimento não é para conservadores. Muitas vezes, as pessoas são consideradas conservadoras e acabam sendo excluídas do mercado de ações. No entanto, com conhecimento suficiente, um cenário confortável pode ser alcançado com um pequeno investimento na B3. Como resultado, esses investidores acabaram descobrindo que não eram tão “conservadores” quanto pensavam. Claro que não é uma regra, mas em geral, o investimento ideal é conseguir uma boa noite de sono, por isso é aconselhável correr riscos se você entender e se sentir confortável.

Fontes:  ihublounge.com.br

vitorramos
vitorramos
Artigos: 49